DISCLAIMER


DISCLAIMER: 1. The risk of trading equities and/or derivatives can be substantial. 2. Any decision to purchase or sell as a result of the opinions expressed in this blog will be the full responsability of the person authorizing such transaction. 3. Past performance is not indicative of future results.

sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

"Buy-the-dip" Mindset Was Really A Loser

I hit the nail on the head when I noted bullish badwagon was overcrowded (here

terça-feira, 27 de dezembro de 2011

TED Spread...A Canary In The Coal Mine?

"Three line break" charts - much like PF charts - are less prone to whipsaws.

quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

Market Principle Illustrated

The chart above shows why is so hard to short selloffs. Fear skyrockets fast.

terça-feira, 20 de dezembro de 2011

If Santa Fails To Call...


Hoje
pela manhã li um artigo de ontem abordando, mais uma vez, o tema do "rally de natal". As estatísticas de dezembro em Wall St. mostram que nos últimos 60 anos em aproximadamente 75% das vezes ações deram retornos positivos. Apenas para efeito de comparação a semana de Ação de Graças, em meados de novembro, foi a pior desde a década de 30, se não me engano. Curiosamente, esse outlier estatístico que veio com o peru parece não ter impactado os observadores do mercado. E, como um portador da doença de Alzheimer, voltam à cantilena dos padrões sazonais mais observados, sem a menor parcimônia.

quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

What Should We Look At Right Now?

A ação coordenada dos principais BCs  serviu de trigger para mais um desses rallies impressionantes, revertando tendência intermediária nas médias yankees. O que teria acontecido sem a intervenção deles? Nunca saberemos. Não é possível reproduzir o mesmo ambiente macroeconômico em dois momentos diferentes. Por isso, não se pode dizer que a atividade de investimento seja uma ciência em sentido estrito. A reprodução de eventos não é  possível. Bem, é só mais um food for thought. trader/especulador não deveria considerar seriamente  esse tipo de elucubração. É uma tremenda perda de tempo. 
Uma das minhas frases preferidas relacionada a equities é "It is what it is". Aqueles que acreditam em racionalidade no mercado acionário deveriam ser value investors. Reconheço que existe, sim, racionalidade no longo prazo. Mas onde ele fica? Realmente não sei. Pode ser daqui a 2 ou 3 ou mais anos. Conheço alguns value investors com amplo conhecimento teórico. E lhes garanto: a expectativa média de retorno de seus investimentos é inferior a esse período.
A racionalidade é um conceito muito limitado em ambientes de livre negociação. Mas há alguns parâmetros que devem ser examinados para que se tenha razoável convicção de que players atuam de maneira harmônica. Ocorreu-me escrever a respeito quando li uma postagem (aqui) de poucas horas atrás de Mike Shedlock. "Mish" - apesar da boa audiência diária - não me parece ser um analista que se possa chamar de mainstream. Long story short. Chama a atenção para a queda dos yields dos títulos franceses e italianos. [Bigcharts.com possui esses tickers.] Vos digo: qualquer rally em equities mundo afora só será sustentável se yields dos títulos desses países mostrar retração considerável. Não que equities não possam engrenar um rally, principalmente na ocorrência de um colossal short covering. [Apenas a título de informação, nesse momento grandes hedge funds continuam vendidos.] Mas fica o recado: movimentos pra cima ou pra baixo tendem a ser mais consistentes quando os tradicionais mercados intrinsecamente antagônicos falam a mesma língua.